domingo, 3 de maio de 2015

Ψ Sobre as Principais Abordagens Psicoterapêuticas


 *A Psicanálise de Freud foi a teoria psicodinâmica original, mas a abordagem psicodinâmica como um todo inclui todas as teorias que foram baseadas em suas ideias, como as teorias de Jung (1964), Adler (1927) e Erikson (1950) ...

*Psicoterapia Psicanalítica: A psicanálise é a mais antiga forma de
psicoterapia e foi desenvolvida por Sigmund Freud na primeira parte do século 20. Grande parte do foco está na compreensão de como os padrões do passado de relações se repetem no presente, a psicanálise faz uso da livre associação. Segundo Freud, a psicanálise é um procedimento para a investigação de processos mentais que são quase inacessíveis de outra maneira. É um método para o tratamento de distúrbios neuróticos que proporciona uma série de informações psicológicas, e que se tornou uma nova disciplina científica. É uma teoria que procura descrever a origem dos transtornos mentais, o desenvolvimento do homem e de sua personalidade, além de explicar a motivação humana. Com base neste corpo teórico, Freud desenvolveu um tipo de psicoterapia. O número de sessões semanais é variável e normalmente os processos terapêuticos levam anos. Geralmente o analista utiliza divã.

*Psicoterapia Analítica: Foi desenvolvida com base na experiência psiquiátrica de Jung, nos estudos de Freud e no amplo conhecimento que Jung tinha das tradições da alquimia, da mitologia e do estudo comparado da história das religiões. Psicologia analítica, também conhecida como psicologia complexa e se distingue da psicanálise de Freud, por uma noção mais alargada da libido e pela introdução dos conceitos de inconsciente coletivo, sincronicidade e individuação. Diferentemente de Freud, Jung via o inconsciente não apenas como um repositório das memórias e das pulsões reprimidas, mas também como um sistema passado de geração em geração, vivo em constante atividade, contendo todo o esquecido e também novas formações criativas organizadas segundo funções coletivas e herdadas. O inconsciente coletivo que propõe não é, apesar das incessantes incompreensões de seus críticos, composto por memórias herdadas, mas sim por pré-disposições funcionais de organização do psiquismo. Jung também diz que é a Freud que devemos a inestimável descoberta de que o analista também têm complexos, sendo estes um dos pontos cegos, que atuam como outros tantos preconceitos e complexos: aquilo que não está claro para o profissional, impede que se torne consciente para o paciente.


*Psicanálise Lacaniana: Jacques Lacan foi seguidor de Freud e para ele a psicanálise não é uma ciência, e sim, uma prática por meio da livre associação chegando ao núcleo do ser. Esta terapia constitui-se pela noção de sujeito e de que o inconsciente se estrutura como a linguagem. O tempo da sessão é variável e depende do tempo lógico, isto significa que existem momentos de corte que são muito precisos e em que o analista precisará intervir sem hesitação. Lacan foi, com efeito, o único dos grandes intérpretes da doutrina freudiana a efetuar sua leitura não para “ultrapassá-la” ou conservá-la, mas com o objetivo confesso de “retornar literalmente aos textos de Freud”. Por ter surgido desse retorno, o lacanismo é uma espécie de revolução às avessas, não um progresso em relação a um texto original, mas uma “substituição ortodoxa” deste texto. Se Freud utilizou conhecimentos da física e a biologia nos seus trabalhos,  Lacan utilizou a linguística, a lógica matemática e a topologia. Lacan mostrou que o inconsciente se estrutura como a linguagem. A verdade sempre teve a mesma estrutura de uma ficção, em que aquilo que aparece sob a forma de sonho ou devaneio é, por vezes, a verdade oculta sobre cuja repressão está a realidade social. Considerava que o desejo de um sonho, não é desculpar o sonhador, mas o grande “Outro” do sonhador. O desejo é o desejo do “Outro”, e a realidade é apenas para aqueles que não podem suportar o sonho.

*Psicoterapia Cognitivo Comportamental: É uma forma de terapia objetiva que surgiu entre 1960 e 1970 que pretende tratar o comportamento humano de maneira direta e eficaz com ênfase no presente. Atualmente esta modalidade de atendimento psicológico foi definida como a aplicação sistemática da teoria da aprendizagem para a análise e tratamento de distúrbios comportamentais.Terapias Comportamentais têm uma ampla gama de aplicações em transtornos fóbicos, adaptativos, déficit de atenção, comportamentos compulsivos (TOC), transtornos obsessivos compulsivos. Refere que vai além dos princípios de aprendizagem e condicionamento e que usa os resultados empíricos da psicologia social e experimental. A ênfase é colocada sobre os estados ou construções mentais observáveis ​​e não inferidos. Busca-se relacionar comportamentos problemáticos (sintomas) para outros eventos fisiológicos e ambientais observáveis. Isto envolve a análise comportamental do que está a ocorrer (e tenha ocorrido) e meios de alteração do comportamento.
*Psicoterapia Existencial: propõe a ajudar a elaborar a nossa história, facilitando uma noção mais clara da existência para que possamos nos interpretar e para que nossa história de vida seja menos absurda, desmascarando as ilusões, os enganos da consciência, transformando assim em realidade a nossa utopia pessoal ou nosso projeto de vida. Não há soluções absolutas para os problemas existenciais, no entanto, todos nós temos de chegar a um acordo com eles. Refere que o ser humano é um projeto inacabado, um VIR-A-SER, ou seja, renasce a cada dia e precisa assumir as rédeas do destino e construir a própria história. Ao tentar assumir a sua história o homem se depara com limites que interferem nas possibilidades de crescimento, são citados como o núcleo da luta existencial que é o foco principal nesta terapia e considerado para estar na raiz da maioria das dificuldades psicológicas: a morte, a liberdade vs responsabilidade, isolamento e falta de sentido. Os nomes associados com Psicoterapia Existencial são os Filósofos Sartre e Kierkegaard; Rollo May, James Bugental e Irvin Yalom.


*Gestalt Terapia: É pautada na doutrina holística, na fenomenologia e no existencialismo. Baseada no "aqui-e-agora", a Gestalt Terapia tem como foco levar as pessoas a restaurarem o contato consigo, com os outros e com o mundo. Por ser considerada uma abordagem humanista, acredita na capacidade do ser humano em se autorrealizar e de desenvolver seu potencial.

 *Psicodrama: Baseia-se na teoria da espontaneidade e na teoria dos papéis. A primeira está ligada à criatividade, e a segunda, a um conjunto de várias possibilidades de identificação do ser humano. Os papéis psicodramáticos expressam as distintas dimensões psicológicas do eu (self) e a versatilidade potencial de nossas representações mentais. A técnica utilizada é a dramatização de situações vivenciadas ou sentidas. O tempo de terapia é variável.
 *Terapia Centrada na Pessoa: Foi desenvolvido pelo psicólogo Carl Rogers. Destina-se a ajudar os clientes a aumentar a auto-aceitação e crescimento pessoal, proporcionando um ambiente emocional de suporte. Este tipo de terapia é Não Diretiva, ou seja, o terapeuta não dirige o curso e ritmo de terapia. O Terapeuta nesta abordagem acredita que os problemas das pessoas vêm de incongruência, ou uma disparidade entre o seu auto conceito e realidade. A incongruência surge porque as pessoas são muito dependentes e ansiosas por aprovação e aceitação dos outros. Em terapia centrada no cliente, as pessoas aprendem a adotar um auto-conceito mais realista ao aceitar quem são e assim tornando-se menos dependente da aceitação dos outros. Para fazer isso, o terapeuta precisa ser genuíno, empático e ter consideração positiva incondicional ou aceitação sem julgamento

(Sugiro: *SESSÃO DE TERAPIA - GNT - Trata-se de uma série brasileira dirigida e criada por Selton Mello. A série é baseada no seriado Be Tipul, criada por Hagai Levi (psicanalista israelense), e já faz um enorme sucesso entre os brasileiros. Relata a história de Theo Cecatto (Zé Carlos Machado), um psicoterapeuta de meia-idade, e sua relação com seus pacientes com suas fragilidades e algumas projeções; a relação de transferência e contra-transferência).

*Referências:
Adler, R. (1927). Compreender a natureza humana. New York: Greenburg.
Erikson, EH (1950). Infância e da sociedade. Nova Iorque: Norton.
Freud, A. (1936). Ego e os mecanismos de defesa.
Freud, S. (1896). A hereditariedade ea etiologia das neuroses. Na edição Standard
Freud, S. (1900). A interpretação dos sonhos. Na edição Standard
Freud, S. (1909). Notas sobre um caso de neurose obsessiva. Na edição Standard
Jung, C G, et ai. (1964) O Homem e seus Símbolos, New York, NY.: Anchor Books, Doubleday.
McLeod, SA (2007). Abordagem Psicodinâmica: http://www.simplypsychology.org/psychodynamic.html
Adler, R. (1927). Compreender a natureza humana. New York: Greenburg.
Erikson, EH (1950). Infância e da sociedade. Nova Iorque: Norton.
Freud, A. (1936). Ego e os mecanismos de defesa.
Freud, S.; Breuer. J. (1895). Estudos sobre a histeria.
Freud, S. (1896). A hereditariedade e a etiologia das neuroses, edição Standard
Freud, S. (1900). A interpretação dos sonhos. Na edição Standard
Freud, S. (1909). Notas sobre um caso de neurose obsessiva. Na edição Standard
Freud, S. (1909). Análise de uma fobia de um menino de cinco anos. Em The Freud Biblioteca Pelican
Jung, C G, (1964). O Homem e seus Símbolos, New York, NY.: Anchor Books, Doubleday.
Henrik, R. (1980). O Manual Psicoterapia. O manual A Z mais de 250 psicoterapias como usado hoje.
Psychiatric Services:  http://www.ps.psychiatryonline.org/cgi/content/abstract/33/6/457
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

Ψ Nunca Lhe Prometi Um Jardim de Rosas

*A importância de conhecer as abordagens psicológicas que são reconhecidas cientificamente antes de iniciar ou encaminhar uma pessoa para tratamento psicoterapêutico.
 *Certifique-se de que o profissional esteja devidamente registrado no seu conselho profissional. 

                                                                
*Seja crítico o suficiente para desconfiar de qualquer profissional que prometa o paraíso em poucas sessões, a PSICOTERAPIA não se trata de um sistema mágico.

*A psicoterapia é um trabalho científico. Uma interação que é construída entre o terapeuta e o paciente que vai explorar aspectos profundos da psique e isso exige tempo e compromisso. O tratamento é prolongado pode levar meses ou anos.

*Há muitos tipos de psicoterapias, cada uma com sua própria metodologia. E nenhuma detém o saber absoluto.

"Nem todo mundo que se beneficia com a psicoterapia é diagnosticado como um doente mental. Quem se conhece vive melhor.

 *Quando a psicoterapia pode ser indicada?
 - Para aliviar a ansiedade ou estresse devido ao trabalho ou outras situações;
- Lidar com as grandes mudanças na vida, como o divórcio, a morte de um ente querido ou a perda de um emprego;
- Aprender a lidar com reações insalubres, tais como a raiva, comportamento passivo-agressivo;
- Se estiver em conflito com o seu parceiro ou outra pessoa em sua vida;
- Chegar a um acordo com um problema de saúde física permanente ou graves, como diabetes, câncer ou dor (crônica), traços suicidas;
- Recuperar-se de abuso físico ou sexual;
- Dormir melhor, (insônia ou outros transtornos do sono).
- Os transtornos de ansiedade, como o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
fobias, transtorno do pânico ou transtorno de estresse pós-traumático (TEPT);
- Os transtornos de humor, como depressão ou transtorno bipolar;
- Vícios, como alcoolismo, dependência de drogas ou jogo compulsivo;
- Os transtornos alimentares, como anorexia ou bulimia;
- Os transtornos de personalidade, tais como transtorno de personalidade borderline ou transtorno de personalidade dependente;
- A esquizofrenia ou outras doenças que causam afastamento da realidade (os quadros psicóticos).

*Uma combinação de psicoterapia e medicação é utilizada em transtornos mentais mais graves, como a  depressão recorrente, transtorno psicótico ou transtorno afetivo bipolar. Sempre qua a psicopatologia implique em uso de psicofármacos deve-se procurar um Médico Psiquiatra.

 "Quando a dor de não estar vivendo for maior do que o medo da mudança, a pessoa muda” (Freud) 



 “A psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor” (Freud)  

"O melhor trabalho político, social e espiritual que podemos fazer é parar de projetar nossas sombras nos outros” (C. G. Jung) 

“Do mesmo modo que aquele que fere ao outro fere a si próprio, aquele que cura, cura a si mesmo” (C. G. Jung)

"Amar é dar o que não se tem a alguém que não o quer” ou, "Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido.” (Lacan).  

*Jacques Allain Miller refere: (...) meu amor diz alguma coisa de ti que talvez tu mesmo não conheças’. Isso não assegura, de forma alguma, que ao amor de um responderá o amor do outro: isso, quando isso se produz, é sempre da ordem do milagre, não é calculável por antecipação”.

“Um ambiente físico e cultural diferente fará um homem diferente e mais consciente.” (Skinner)


"Quando percebem que foram profundamente ouvidas, as pessoas quase sempre ficam com os olhos marejados ... Ou seja: “Graças a Deus, alguém me ouviu. Há alguém que sabe o que significa estar na minha própria pele” (Carl Rogers)
 





Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

domingo, 19 de abril de 2015

Ψ O Retrato de Dorian Gray

                                  Diga-me qual o seu segredo,
            - Mas se contar terei que matá-lo.

*O Duplo/ Sombra: A Psicanálise se apropria das artes, da literatura, da mitologia para desvendar os encantos e as estranhezas da psique humana. 

*Na literatura várias obras mencionam esse aspecto: O Duplo de Dostoievsky;  O Homem duplicado de Saramago; Fausto de Goethe: (aqui o personagem Mefisto inteligente e sedutor, se transforma em espelho para o lado obscuro de Fausto e o corrompe por meio do desejo e de poder).  O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde: (que mostra a duplicidade do personagem Gray e denuncia sua imperfeição e farsa).

*Cientistas do comportamento humano concordam que as questões existenciais nos levam a lidar com o nosso narcisismo quando nos deparamos com a finitude e a precariedade da vida.


*Segundo Freud, fica bem guardado tudo que é estranho, os aspectos mais primitivos de nossa mente. 

*Freud, ao falar de narcisismo nos diz que a criança primeiro toma a si mesmo como objeto de amor e centro do mundo, antes de se dirigir aos objetos externos.

*O narcisismo é uma fase inicial do desenvolvimento, que depois pode levar ao ego ideal.

*Algumas pessoas ficam fixadas a esta fase do desenvolvimento, não conseguindo se ligar a outras, o que as impossibilita vivenciar um relacionamento amoroso.

*O duplo surge quando não conseguimos tolerar nossa realidade psíquica interna e dar conta de nós por inteiro, com nossas limitações, imperfeições e até aspectos que não aprovamos muito em nós.

*O “duplo”, que é fruto também de algo reprimido e deslocado para fora, fruto da onipotência para a realização de desejos e também à onipotência de pensamentos. 

***Sobre O Retrato de Dorian Gray: Dorian, herdeiro de uma casa do avô chega a Londres.
*Inicialmente, um rapaz jovem de rara beleza, ingênuo e frágil que se vê encantado com a cidade e o as possibilidades que ela oferece.

*Conhece o Pintor Basil, que se sente atraído pela beleza de Dorian, pinta o seu retrato e se apaixona pelo jovem. 

*O Retrato fica perfeito e deixa as pessoas encantadas.

*Dorian também se apaixona pela sua imagem no retrato, ficando preso à própria imagem.

*Basil o apresenta a Henry, que se torna um grande amigo e “conselheiro” de Dorian.

*Henry apresenta o mundo a Dorian pela ótica do prazer e da intensidade das paixões (...)  “A vida é só um momento. Você perde a vida por bom senso”, ou, “O homem quer ser feliz, mas a sociedade quer que ele seja bom”, e ainda:“Você quer ser bom?” (...) “consciência ou covardia”, “Procure sempre novas sensações”.

(...) E Dorian fica totalmente manipulado por Henry, seguindo os prazeres imediatos e superficialidade dos contatos.

*Henry questiona com Dorian se ele não faria um pacto para não envelhecer, e ele o faz. 

*(...) Enfim, observamos que Dorian vivia a onipotência da imortalidade, que nada poderia abalar sua vida.

*Ele não envelheceria, não sofreria, e para que isso acontecesse, tudo de ruim estaria no quadro. 

*E Dorian conseguiu viver este duplo com o pacto demoníaco.

*Após o pacto a ingenuidade vai desaparecendo dando lugar a arrogância e onipotência.

*Dorian assassina o amigo Basil e esconde o corpo.

*Dorian conhece Sybil: A mulher pela qual se apaixona, ainda assim a trata com cinismo e ela grávida e abandonada se mata.

*(...) Dorian vivencia várias orgias mostrando uma liberação total de prazer em uma Inglaterra aristocrática e hedonista do século XIX.

*No final da história quando Dorian retorna da viagem que fez, após ter cometido o assassinato de Basil, todos os personagens envelhecem, menos ele, e parece que ele não se abala com isso.

*Todos ficam hipnotizados pela sua imagem, e isso parece não perturbá-lo. Aqui fica claro o seu sentimento de superioridade em relação aos demais.

*Já Henry, que de inicio se divertia, no final parece perceber e se assustar com o que criou, aqui a criatura ficou pior do que o que o seu criador.

*Henry fica preocupado quando vê que sua filha se apaixona por Dorian.

*É neste momento que tudo se rompe. O amor quebra o pacto. Dorian teve dois amores, mas no primeiro, ele mostrou que era mais apaixonado por ele e pela sua vida, do que pela mulher amada. 

*Seu narcisismo, sua arrogância e onipotência foram aparecendo a ponto de não o deixar se ligar verdadeiramente à mulher amada.

*Dorian parece estar envolvido amorosamente, mas sofre por não poder ter uma intimidade total, porque uma parte sua estava no quadro e ele não queria que ela descobrisse; ela por sua vez sabia que tinha algo diferente.

*Podemos pensar que com o seu narcisismo, Dorian Gray não acessa suas dores, sua condição humana; ou que seu duplo passa a viver o que ele deixou de viver.

*Ele não envelheceria, não sofreria, e para que isso acontecesse, tudo de ruim estaria no quadro. 

*Para concluir, Dorian conseguiu viver este duplo com o pacto demoníaco.

*Com tudo isso que Dorian vive, é o retrato que sofre as dores e mudanças, começando com os bichos saindo do quadro, dos olhos, penso o que de tão podre ele não podia ver, e terminando com o quadro envelhecendo, ficando horroroso monstruoso.

*Ele esconde o quadro, sugerindo que ele não poderia lidar com estas situações e elas ficariam no retrato.

*Pode-se pensar também que o quadro é um duplo, que vive as questões que Dorian não pode assumir que sente.

*As partes sombrias de Dorian eram colocadas no retrato. Ele olha para dentro do quadro e o quadro para ele. O retrato parece que tem vida própria e o observa.

*Os seus sofrimentos e marcas da vida ficam no quadro, no seu duplo.

*Mas, podemos observar que este lado narcísico, obscuro e sombrio que nós não gostamos de olhar, se encontram em diversos graus em nós mesmos, ou em outras pessoas.

*Como nos percebermos e aceitarmos a nós como somos por inteiro? Para isso, precisamos encontrar uma condição mental que possa nos ajudar a pensarmos pensamentos antes impensáveis e lidarmos com emoções que nos pareçam insuportáveis, mas que fazem parte da nossa condição humana. 

*Fonte: www.sbprp.org.br/cinema/dorian_gray.pdf
www.interseccaopsicanalitica.com.br 
(*Sugiro o filme dirigido por Oliver Parker, (2009), com roteiro de Toby Finlay e estrelando Ben Barnes e Colin Firth. Baseado na obra The Picture of Dorian Gray, do escritor irlandês Oscar Wilde, o filme contra a trajetória do personagem principal, Dorian Gray, um atraente aristocrata inglês cujo retrato envelhece em seu lugar). 
 Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Ψ Os Sintomas como Oportunidades de Desenvolvimento


*Sintomas neurológicos: Ao contrário dos sintomas de males nervosos, a origem aqui está em modificações concretas dos nervos.

*Além dos grandes sintomas, a esclerose múltipla e a epilepsia, é possível diferenciar dois subgrupos: as perturbações da chamada via piramidal, responsável pela coordenação dos movimentos subordinados à vontade, e as perturbações das vias extrapiramidais.
*Sendo uma estrutura abrangente, a via piramidal é responsável também pela inibição dos reflexos musculares e pela redução de seu estado de tensão. Dessa maneira ela, mantém sob controle a vida própria dos músculos.

*Caso haja uma interrupção da via piramidal, essa inibição desaparece e surgem paralisias espásticas.

*A maior parte das fibras nervosas da via piramidal cruza para o lado oposto na altura da base do crânio.

*Por essa razão, perturbações circulatórias ou coágulos que ocorrem em seu âmbito, como em um derrame, por exemplo, causam problemas no lado oposto.

*O chamado sistema extrapiramidal é responsável pela regulação da tensão dos músculos, por movimentos involuntários e coordenados, pela regulação do equilíbrio e da postura corporal. 

*Em casos de perturbações, pode-se destacar dois subgrupos: a) As síndromes rígido-hipocinéticas, que levam à diminuição dos movimentos e à rigidez, como por exemplo o mal de Parkinson;

b) As síndromes hipercinéticas, com seus padrões característicos de movimentos incontroláveis. Como a coréia e dois sintomas raros: a atetose, com contorções semelhantes às de um verme, e o balismo, com seus movimentos giratórios.

*MAL DE PARKINSON: A doença de Parkinson é o sintoma neurológico mais frequente da idade avançada. As vias extrapiramidais são afetadas e trabalham independentes da vontade. 

*Segundo foi comprovado pela medicina, trata-se da deficiência de uma substância transmissora entre as conexões nervosas adrenergênicas, o neurotransmissor chamado de dopamina, no centro do cérebro.

*Trata-se portanto, de uma deficiência no polo masculino do sistema nervoso central. 

*A consequência é uma sobrecarga do polo oposto, do chamado sistema colinérgico, que é atribuído ao polo feminino.

*Os sintomas resultantes traçam um quadro nítido em que logo chamam a atenção a máscara inexpressiva do rosto e a rigidez geral.


*Todos os movimentos tomam-se mais lentos, e estão ausentes os movimentos secundários tais como o balanço dos braços quando se caminha. 

*A fala é baixa entrecortada e monótona. O típico tremor, que se manifesta especialmente quando o paciente está imóvel, contrasta com a pobreza de movimentos.

*Assim que o paciente executa um movimento em direção a um objetivo o tremor diminui ou cessa completamente.

*O caminhar se dá, de maneira característica, por meio de passos curtos e arrastados, o tronco parece querer adiantar-se à parte inferior do corpo, o que forma uma tendência de precipitar-se para diante e para o lado.

*A tendência das pernas de falhar inteiramente de maneira abrupta reforça o perigo e, como os outros sintomas, não pode ser influenciado voluntariamente. 

*Toda a postura do paciente é inclinada, como a de alguém curvado, se não abatido, pelo destino. 

*Até mesmo a caligrafia assume essa forma, as linhas caindo para a direita e para baixo, as letras dentro das linhas tornando-se cada vez menores, de tal maneira que a medicina fala de micrografia.

*Somam-se a isso sintomas vegetativos tais como salivação, surtos de suor,  observam-se ainda perturbações da pele e um arrefecimento da atividade sexual. 

*No âmbito anímico, há uma oscilação entre a boa disposição e fases melancólicas.

*O sintoma acomete especialmente homens que viveram suas vidas de maneira muito ativa e sob grandes exigências, é comum entre intelectuais. 

*A medicina diferencia várias formas, sendo que no parkinsonismo primário, também conhecido por 'Paralysis agitans'. 

*Paralisia agitada deixa bem claro qual é o dilema do afetado: através da paralisia, seu compromisso nervoso perde o significado.

*Há ainda a síndrome de Parkinson secundária, que surgem a partir de uma esclerose cerebral, de uma intoxicação, após uma encefalite ou provocada de maneira medicamentosa através de neurolépticos. 

*Uma variante mais rara é a doença dos boxeadores, evidentemente provocada pelas numerosas "comoções cerebrais", tal como a que atingiu o ex-campeão mundial dos pesos pesados Muhammed Ali.

*Seguindo o lema "a doença mostra sombras", pode-se concluir que os afetados não veem a rigidez em sua expressão e em seus movimentos por muito tempo, até que o corpo faz com que não possam deixar de ser vistos.

*Eles vivem como se estivessem paralisados de susto, sem admiti-lo para si mesmos.

*Eles não movem um só músculo da face. A medicina fala de "amimia", a ausência total da expressão natural do rosto. 

*O paciente evidentemente aprendeu a não permitir que se note qualquer reação sensível. Seu rosto congelou-se em uma máscara.

*Além da voz que vai pouco a pouco falhando, outras funções do corpo deixam claro que se trata de um declínio, que as forças estão sumindo.

*Pode-se mencionar aqui a tendência de precipitar-se para a frente, que se reflete também na escrita. 

*Juntamente com a paralisia que tem por objetivo a morte, expressa-se ainda no sintoma um medo profundo, que domina o paciente assim que ele se congela na imobilidade. 

*Eles não tremem de uma maneira sensível, como folhas ao vento, são movimentos violentos.

*Esse tremor grosseiro, como foi dito, somente diminui quando eles empreendem alguma atividade. 

*Totalmente rígido e inexpressivo na cabeça e no corpo, os movimentos trêmulos mostram como a inatividade é angustiante e problematicamente sem sentido. 

*Aqui está a raiz para o nome “paralisia trêmula”. Realmente paralisado e imóvel, é o medo que ainda busca o movimento. É notável tratar-se em sua maioria de pessoas que se impõe a exigência de mover algo no mundo.

 *O sintoma mostra a elas quão pouco elas se põem em movimento em sua realidade interna, em comparação com suas exigências, e sobretudo quão pouco movimentada é sua vida anímica, cuja rigidez e paralisia estão agora encarnadas. 

*Além do medo, manifesta-se no tremor uma certa comoção, em que os pacientes podem ser também totalmente tomados pelo medo. 

*Coloca-se a questão: por que essa pessoa é sacudida, ou por que ela se sacode?

*Treme-se de medo e dessa maneira, tenta-se sacudir para longe de si a morte ... ou outros perseguidores.

* ... Os afetados querem, evidente e inconscientemente, sacudir de si e livrar-se de algo que eles transformam em angústia e medo.  A princípio tremem, no final eles se veem paralisados.

*Estudando a história da vida dos pacientes de Parkinson, tem-se a impressão de que eles querem livrar-se é da experiência de sua própria realidade. 

*Seus corpos inertes e seu entorno igualmente inerte parecem-lhes absolutamente
importunos. Impõe-se novamente a imagem do "Presidente Mao", que uma e outra vez viu naufragar seus grandes e ousados pensamentos nas inertes massas da China.

*A paralisia como o oposto de ser sacudido é somente aparente. 

*Ela faz com que o paciente se torne consciente de quão imóveis e inflexíveis eles são
no fundo de suas almas, apesar de todas as coisas impressionantes que eles sempre se esforçaram por colocar em movimento. 

*O corpo os força ao conhecimento de que são incapazes de adaptar-se às transformações mais necessárias para a vida.

*Quando atinge a respiração, a paralisia torna-se a causa da morte. 

*A respiração paralisada encarna a comunicação paralisada em um duplo sentido já que, depois da pele, os pulmões são nosso segundo órgão de comunicação.

*Eles são responsáveis pela admissão de energia.

*Tenhamos em vista o oxigênio responsável pelos processos de oxidação necessários para a vida ou, segundo a concepção oriental, o prana, a energia vital: em ambos os casos a provisão de energia paralisa-se com a paralisia da respiração.

*O sintoma deixa claro que não há mais nenhuma energia vital entrando no corpo.

*A linguagem está estreitamente ligada aos pulmões como órgãos de comunicação, já que ela se baseia na modulação do fluxo de ar expirado. 

*Os problemas de linguagem que vão aumentando com a evolução da doença refletem igualmente a perturbação da comunicação. 

*A voz não somente se toma mais fraca, mas também entrecortada. Quando as palavras não estão mais ligadas, desconectam-se de seu conteúdo e a comunicação já não estabelece mais nenhum tipo de comunidade.
 
*Por outro lado, poderia representar também o esforço que eles, com o suor de seus rostos, fizeram para conseguir alguma coisa neste mundo.

*Finalmente, este rosto tem ainda algo de ungido e poderia indicar uma relação com o sagrado. Christos quer dizer o ungido, e antigamente os reis eram ungidos em sinal de respeito.

*Aqui também mostram-se pretensões que mergulharam nas sombras. 


*Os afetados dão uma impressão brilhante, muito embora no plano corporal.

*O brilho mergulhou nas sombras e obtém consideração para si no corpo.

*Na história da vida dos pacientes encontra-se frequentemente um alto nível de exigência por realizações logradas como suor do próprio rosto, mas junto a isso o medo de fracassar, de não conseguir nada substancial.

*Muitas vezes, de brilhantes feitos memoráveis resta somente o suado esforço. 

*Na maioria das vezes o objetivo próprio mais profundo (anímico) e ao mesmo tempo mais elevado (social) não é alcançável, e mesmo quando obtém o brilho e a glória, no mais intimo de seus seres os afetados permanecem insatisfeitos.

*O resultado de seus grandes esforços no exterior está escrito em suas caras, e aqui também está a chave de sua situação. 

*Eles não mostram seu verdadeiro rosto, mas uma máscara "bem lubrificada".

*De fato, justamente as pessoas que alcançam posições cobiçadas, tal como almejam e muitas vezes logram os pacientes de Parkinson, raramente estão em condições de mostrar seu verdadeiro rosto. 

*O médico, por exemplo, deve estar sempre saudável e em boa forma, já que justamente faz parte de seu ideal estar sempre movendo-se como um raio em prol da humanidade sofredora.

 *As próprias necessidades podem não ser suficientes para isso, ou seja, as imagens profissionais da sociedade podem ser utilizadas para não mostrar o próprio rosto e para não cumprir com a tarefa interna.

*Esta temática está igualmente disseminada entre advogados, políticos, e outros que estão expostos ao público.

(... ) As particularidades do andar corroboram as interpretações apresentadas até agora: como foi dito, os afetados, em comparação com suas exigências, somente avançam com passos minúsculos.

*Eles, têm a tendência de cair para diante, pois avançam mais rapidamente com a parte superior do que conseguem seguir a realidade abaixo. 

*O corpo demonstra a cada passo a discrepância entre o querer e o poder.

*Ainda que se trate de pessoas ativas, bem-sucedidas segundo critérios externos, pessoas que fizeram tudo para demonstrar a si mesmas e ao seu ambiente o quanto tiveram de se esforçar, permanece a suspeita de que eles não conseguiram resgatar suas elevadas exigências de progresso no plano anímico espiritual.

*O andar, a postura curvada e aflita são outros testemunhos, assim como a escrita, comprovando como palavra a palavra bem como passo a passo se desce a ladeira.

*A voz cada vez mais fraca mostra que as forças de expressão também estão diminuindo.

*Em sua monotonia, ela sublinha a estereotipia da expressão, e em seu caráter
escondido, sua falta de compromisso.

*Como barômetro do estado de espírito, ela, no fundo, deixa entrever algo da resignação crescente.

*A imagem de desgaste e esgotamento confere com as descobertas seguras feitas até agora pela medicina.

*É como se a dopamina, aquela substância transportadora adrenergênica, se esgotasse devido à hiperatividade.

*No âmbito da 'substância nigra', uma área negra no cérebro, constata-se uma nítida degeneração com descoramento.

*A consequência é uma preponderância relativa do polo feminino da atividade cerebral.

*O masculino, após ter sido exagerado por um longo tempo, se esgota. 

*Os afetados são forçados ao polo oposto, não lhes resta outra coisa a fazer além de descansar graças à paralisia e à rigidez, ainda que elas provoquem medo e tremores. 

*O paciente somente se sente realmente bem em atividade, quando o tremor também diminui de forma imediata.

*Muitas das tendências forçadas pelo sintoma têm por objetivo a regeneração, inclusive o aumento do fluxo de saliva, que indica fome e atividade digestiva. 

*Ainda que o afetado fique com água na boca à menor oportunidade, é preciso antes digerir a vida passada, cheia de hiperatividade.

*Neste contexto, a experiência do neuropsicólogo norte-americano Oliver Sachs é interessante: "O paciente de Parkinson capaz de mover-se pode cantar e dançar, e quando o faz, fica totalmente livre dos impedimentos causados por sua doença...”. 

*As capacidades do polo feminino, portanto, são em grande medida poupadas e permanecem abertas ao paciente.

*A decrescente potência sexual é testemunho da falta da possibilidade de admitir o outro sexo e, com isso, a polaridade.

*A consequência natural é a esterilidade no âmbito concreto como expressão da deficiência correspondente no sentido figurado. 

*É justamente neste sentido que o paciente queria demonstrar fertilidade, muitas vezes com esforços exagerados. 

*Seu corpo lhe mostra que essa etapa se acabou. Nos casos de Parkinson evidencia-se um problema de coordenação e de comunicação, o que é típico em um mal nervoso. 

*A ligação entre o interno e o externo se vê tão afetada como a ligação entre o que está acima e o que está abaixo. 

*O andar problemático trai as dificuldades de coordenação entre os planos superior e inferior, entre a realidade anímico espiritual e a realidade física.

*A ligação entre o mundo dos pensamentos e a realidade é substancialmente mais problemática do que os afetados admitem para si mesmos. 

*A fala e a escrita, possibilidades clássicas de comunicação, mostram tendências ao colapso igualmente típicas.

*O precipitar-se para diante da parte superior do corpo é uma caricatura de sua vida. 

*A cabeça cheia de sonhos de alto voo precipita-se para a frente e perde o contato com a realidade material simbolizada pelo corpo.

*Assim como acontece com outros sintomas, a síndrome de Parkinson, de maneira terrível, também permite que aflore o verdadeiro rosto, ou seja, o padrão que está por trás dos sintomas e que francamente se transforma em caricatura. 

*A rígida máscara oleosa em lugar da vivacidade espiritual demonstrada para o exterior é um símbolo disso.

*A tarefa consiste na realização libertadora do padrão expresso nos sintomas. Nesse sentido, trata-se de dar pequenos passos, não erguer muito a voz e prestar atenção aos detalhes que são exigidos.

*Antes da quantidade, deve-se estar atento para a qualidade, as sutilezas são de central importância, afinal trata-se sobretudo de uma perturbação dos movimentos sutis. 

*A postura curvada e a tendência de cair sobre o próprio nariz desviam a atenção da frente para o chão. 

*Trata-se de manter os olhos cuidadosamente na realidade física e sempre retomar a ela, ou seja, ao chão dos fatos. 

*A escrita que vai se tornando cada vez menor desvia a atenção para o fato de que todo ímpeto inicial arrefece no curso da ação. 

*A micrografia coloca diretamente a exigência de expressar as coisas de maneira menor e mais realista. O que no início do caminho começou tão grande termina bastante modesto.

*É preciso aceitar internamente esse conhecimento, expresso em cada linha escrita.

*A enorme rigidez no corpo poderia ser vivenciada de forma anímica na busca correspondente da estrita do essencial. As resistências que surgem no âmbito físico devem ser incluídas no alto voo dos pensamentos.

*De acordo com seu diagnóstico de tremores e paralisia, os pacientes devem
aprender o movimento e o repouso. 

*Em vez de rigidez e paralisia, o repouso deveria introduzir-se em seus constantes esforços para diante, e se mostraria movimento anímico em vez de movimentos trêmulos no corpo. 

*Além do medo, vibra também no tremor o deixar-se tocar, comover, que falta no âmbito anímico.

*O medo e a falta de espaço expressos no rosto oleoso e no tremor podem ser realizados com mais consistência no âmbito das ideias.

*O elemento de amplidão de altos voos deveria ser apanhado do chão e as fronteiras da própria realidade anímica deveriam ser ultrapassadas. 

*A pretensão de fama e honra, derrotada no rosto oleoso do paciente, seria justiçada por meio de brilhantes passos no caminho do desenvolvimento interno. 

*Christos, o ungido, é propriamente um título honorífico que o Jesus histórico conquistou ao longo de seu caminho.

*Ele representa um desenvolvimento que, além do corpo, inclui também a alma e o espírito, que une superior com o inferior e o interior com o exterior. 

*Ele foi destinado àqueles seres cuja vida tornou-se sinônimo da unidade do homem e do mundo. Isso, entretanto, é a pretensão e a tarefa secretas dos pacientes de Parkinson.

***O que preciso saber?


1. Que sentimentos ocultos por trás de minha cara de pôquer?
2. Que susto penetrou em meus membros? O que me faz perder a fala?
3. O medo da morte me deixa mortalmente rígido?
4. Que medo, que ambição me remove por dentro e impede a paz interior?
5. Que objetivo elevado me deixa tão inquieto e insatisfeito?


6. Como é que minha comunicação é tão descompromissada a ponto de impedir a verdadeira comunhão ao invés de criá-la?
7. De que maneira gasto minhas energias e qual objetivo me resta?
8. Onde eu exagero o polo ativo masculino? O que devo ao passivo feminino? Como anda a criança que há em mim?
9. O que sobrou de não digerido em minha vida?
10. Onde eu fui mais pela quantidade no exterior que pela qualidade no interior?
11. Como é minha relação com a parte de cima, como ela é com a parte de baixo, com meu próprio submundo, como é a relação entre o mundo interno e o externo?

Fonte: Rüdger Dahlke -  A Doença como sintoma - OS SINTOMAS COMO OPORTUNIDADES DE DESENVOLVIMENTO.
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

domingo, 18 de janeiro de 2015

Ψ Psicossomática: "Tal como pensa o homem em seu coração, assim é." (Jesus Cristo)

"Diga onde dói e e eu lhe digo o que andas pensando." (Edgar Cayce - 1877/ 1945)

*Segundo Cayce a saúde é o equilíbrio entre físico, mental e espiritual, que é o princípio curativo holístico.


*Ele menciona quatro processos fundamentais para ter boa saúde:

*Circulação: Primordial na regeneração - exercícios físicos, massagens.
*Assimilação: Mecanismo pelo qual o corpo digere alimentos e distribui os nutrientes (20% ácidos e 80% alcalinos). Cereais e cítricos nunca na mesma refeição, e ingerir um litro e meio de água por dia.
*Relaxamento:
Sono suficiente e tempo livre para lazer.
*Eliminação: Indispensável que o corpo elimine toxinas e purifique seus órgãos internos (água, movimentos respiratórios, exercícios físicos, banhos de vapor), asseguram bons mecanismos de eliminação.


*O corpo tem seu próprio sistema de cura que regula os processos vitais e ajuda na sua manutenção e equilíbrio.

*A cura vem de dentro, o tratamento só pode ser eficaz se for de dentro para fora.


*Paracelsus (1493/ 1541) - Médico alquimista na teoria dos três princípios sustenta que cada substância ou matéria em crescimento é constituída de sal (alcalino, purificação), enxofre (dissolução ou consumação, azeite), e mercúrio (eliminação, um licor, a água).

*O sal limpa e purga o corpo pela vontade ou força vivificante inerente a cada órgão.

 Fala que determinados álcalis são naturais enquanto que outros ainda se acham coagulados e atuam por expulsão ou por transpiração.

*Sobre o enxofre corporal ele diz: "Cada doença resultante do supérfluo no corpo, tem seu antídoto na mistura elemental de determinadas plantas ou minerais."

*O mercúrio absorve o que o sal e o enxofre repelem. É o que ocorre com as doenças das artérias, ligamentos, articulações e juntas.


*Desta forma, vai ser ministrado a fórmula especial que melhor corresponde à forma da indisposição.

*O essencial da doença reclama o essencial que a natureza indica como remédio.

                                                                                                                              a alquimista/ Michael de Bono
                                 









                                                                                                                                   

*Para diagnosticar corretamente o médico precisa ser leal e caridoso, o egoísta muito pouco fará em favor dos seus enfermos.

*O médico alquimista assegura então que todas as doenças podem e devem ser curadas. Assim refere:"Nenhum médico poderá afirmar que uma doença é incurável sem tentar todos os recursos da natureza na cura, ... e se assim não agir estará renegando não só a natureza, como o Deus que a criou ... para cada doença por mais terrível que pareça tem a sua correspondente cura".                                                                                                 
                                                                                                                        

Cada planta é como uma estrela na terra, em suas folhas e pétalas encontra-se o segredo inscrito: No caroço de uma fruta a resistência predomina sobre a força, ao ser semeado o caroço se restabelece a vegetação esta se realiza porque a força luta com a resistência até estabelecer um equilíbrio com ele.

*O objetivo da planta consiste em transmitir-nos os detalhes da beleza, da cor e da perfeição que nascem nas regiões superiores e que tendem a introduzir-se em nossa região inferior.



"Cada grão de semente é um pequeno caos. Quando o fruto aparece é porque a força pode mais do que a resistência e conseguiu vencer todos os obstáculos."(Saint Martin)

*Para gerar faz-se um combate cujas fases e mostram pelo signo e que não existe um único ser que não manifeste por sua forma exterior a história do seu próprio nascimento.




 *PARACELSUS ou Theophrastus Bombastus von Phillippus Aureolus Hohenheim, (1493/ 1541) - Nasceu na Suíça. Ele era um alquimista, médico, botânico e astrólogo. Ele era um firme crente na capacidade do corpo para curar a si mesmo e a relação entre o corpo e a mente. Sendo um dos primeiros, a considerar a  doença mental como sendo a doença "real". Ele acreditava que muitas doenças tinham suas raízes em problemas psicológicos, e foi, além disso, a figura em primeiro lugar conhecido por fazer menção da palavra "inconsciente".
*EDGAR CAYCE - (1877 - 1945) - Nasceu nos Estados Unidos.Quando criança, Cayce conversava com pessoas que ninguém mais via, inclusive com seu falecido avô - que também possuía dons paranormais. Quase todas as faculdades psíquicas de Edgar Cayce se manifestavam sob o estado de transe, quando ele entrava como que em um sono hipnótico, fato que lhe rendeu o título de o profeta adormecido. Adulto, Edgar dedica-se à profissão de fotógrafo, mas resolve também prestar atendimento às pessoas doentes, em especial desenganados pela medicina, serviço este que ofereceu gratuitamente durante uns 40 anos, atendendo neste período uma média de seis mil pessoas. Precisava apenas saber nome e endereço da pessoa para poder medicá-la.
  Fonte: wikipedia.org/wiki

Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica