segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Ψ Os Sintomas como Oportunidades de Desenvolvimento


*Sintomas neurológicos: Ao contrário dos sintomas de males nervosos, a origem aqui está em modificações concretas dos nervos.

*Além dos grandes sintomas, a esclerose múltipla e a epilepsia, é possível diferenciar dois subgrupos: as perturbações da chamada via piramidal, responsável pela coordenação dos movimentos subordinados à vontade, e as perturbações das vias extrapiramidais.
*Sendo uma estrutura abrangente, a via piramidal é responsável também pela inibição dos reflexos musculares e pela redução de seu estado de tensão. Dessa maneira ela, mantém sob controle a vida própria dos músculos.

*Caso haja uma interrupção da via piramidal, essa inibição desaparece e surgem paralisias espásticas.

*A maior parte das fibras nervosas da via piramidal cruza para o lado oposto na altura da base do crânio.

*Por essa razão, perturbações circulatórias ou coágulos que ocorrem em seu âmbito, como em um derrame, por exemplo, causam problemas no lado oposto.

*O chamado sistema extrapiramidal é responsável pela regulação da tensão dos músculos, por movimentos involuntários e coordenados, pela regulação do equilíbrio e da postura corporal. 

*Em casos de perturbações, pode-se destacar dois subgrupos: a) As síndromes rígido-hipocinéticas, que levam à diminuição dos movimentos e à rigidez, como por exemplo o mal de Parkinson;

b) As síndromes hipercinéticas, com seus padrões característicos de movimentos incontroláveis. Como a coréia e dois sintomas raros: a atetose, com contorções semelhantes às de um verme, e o balismo, com seus movimentos giratórios.

*MAL DE PARKINSON: A doença de Parkinson é o sintoma neurológico mais frequente da idade avançada. As vias extrapiramidais são afetadas e trabalham independentes da vontade. 

*Segundo foi comprovado pela medicina, trata-se da deficiência de uma substância transmissora entre as conexões nervosas adrenergênicas, o neurotransmissor chamado de dopamina, no centro do cérebro.

*Trata-se portanto, de uma deficiência no polo masculino do sistema nervoso central. 

*A consequência é uma sobrecarga do polo oposto, do chamado sistema colinérgico, que é atribuído ao polo feminino.

*Os sintomas resultantes traçam um quadro nítido em que logo chamam a atenção a máscara inexpressiva do rosto e a rigidez geral.


*Todos os movimentos tomam-se mais lentos, e estão ausentes os movimentos secundários tais como o balanço dos braços quando se caminha. 

*A fala é baixa entrecortada e monótona. O típico tremor, que se manifesta especialmente quando o paciente está imóvel, contrasta com a pobreza de movimentos.

*Assim que o paciente executa um movimento em direção a um objetivo o tremor diminui ou cessa completamente.

*O caminhar se dá, de maneira característica, por meio de passos curtos e arrastados, o tronco parece querer adiantar-se à parte inferior do corpo, o que forma uma tendência de precipitar-se para diante e para o lado.

*A tendência das pernas de falhar inteiramente de maneira abrupta reforça o perigo e, como os outros sintomas, não pode ser influenciado voluntariamente. 

*Toda a postura do paciente é inclinada, como a de alguém curvado, se não abatido, pelo destino. 

*Até mesmo a caligrafia assume essa forma, as linhas caindo para a direita e para baixo, as letras dentro das linhas tornando-se cada vez menores, de tal maneira que a medicina fala de micrografia.

*Somam-se a isso sintomas vegetativos tais como salivação, surtos de suor,  observam-se ainda perturbações da pele e um arrefecimento da atividade sexual. 

*No âmbito anímico, há uma oscilação entre a boa disposição e fases melancólicas.

*O sintoma acomete especialmente homens que viveram suas vidas de maneira muito ativa e sob grandes exigências, é comum entre intelectuais. 

*A medicina diferencia várias formas, sendo que no parkinsonismo primário, também conhecido por 'Paralysis agitans'. 

*Paralisia agitada deixa bem claro qual é o dilema do afetado: através da paralisia, seu compromisso nervoso perde o significado.

*Há ainda a síndrome de Parkinson secundária, que surgem a partir de uma esclerose cerebral, de uma intoxicação, após uma encefalite ou provocada de maneira medicamentosa através de neurolépticos. 

*Uma variante mais rara é a doença dos boxeadores, evidentemente provocada pelas numerosas "comoções cerebrais", tal como a que atingiu o ex-campeão mundial dos pesos pesados Muhammed Ali.

*Seguindo o lema "a doença mostra sombras", pode-se concluir que os afetados não veem a rigidez em sua expressão e em seus movimentos por muito tempo, até que o corpo faz com que não possam deixar de ser vistos.

*Eles vivem como se estivessem paralisados de susto, sem admiti-lo para si mesmos.

*Eles não movem um só músculo da face. A medicina fala de "amimia", a ausência total da expressão natural do rosto. 

*O paciente evidentemente aprendeu a não permitir que se note qualquer reação sensível. Seu rosto congelou-se em uma máscara.

*Além da voz que vai pouco a pouco falhando, outras funções do corpo deixam claro que se trata de um declínio, que as forças estão sumindo.

*Pode-se mencionar aqui a tendência de precipitar-se para a frente, que se reflete também na escrita. 

*Juntamente com a paralisia que tem por objetivo a morte, expressa-se ainda no sintoma um medo profundo, que domina o paciente assim que ele se congela na imobilidade. 

*Eles não tremem de uma maneira sensível, como folhas ao vento, são movimentos violentos.

*Esse tremor grosseiro, como foi dito, somente diminui quando eles empreendem alguma atividade. 

*Totalmente rígido e inexpressivo na cabeça e no corpo, os movimentos trêmulos mostram como a inatividade é angustiante e problematicamente sem sentido. 

*Aqui está a raiz para o nome “paralisia trêmula”. Realmente paralisado e imóvel, é o medo que ainda busca o movimento. É notável tratar-se em sua maioria de pessoas que se impõe a exigência de mover algo no mundo.

 *O sintoma mostra a elas quão pouco elas se põem em movimento em sua realidade interna, em comparação com suas exigências, e sobretudo quão pouco movimentada é sua vida anímica, cuja rigidez e paralisia estão agora encarnadas. 

*Além do medo, manifesta-se no tremor uma certa comoção, em que os pacientes podem ser também totalmente tomados pelo medo. 

*Coloca-se a questão: por que essa pessoa é sacudida, ou por que ela se sacode?

*Treme-se de medo e dessa maneira, tenta-se sacudir para longe de si a morte ... ou outros perseguidores.

* ... Os afetados querem, evidente e inconscientemente, sacudir de si e livrar-se de algo que eles transformam em angústia e medo.  A princípio tremem, no final eles se veem paralisados.

*Estudando a história da vida dos pacientes de Parkinson, tem-se a impressão de que eles querem livrar-se é da experiência de sua própria realidade. 

*Seus corpos inertes e seu entorno igualmente inerte parecem-lhes absolutamente
importunos. Impõe-se novamente a imagem do "Presidente Mao", que uma e outra vez viu naufragar seus grandes e ousados pensamentos nas inertes massas da China.

*A paralisia como o oposto de ser sacudido é somente aparente. 

*Ela faz com que o paciente se torne consciente de quão imóveis e inflexíveis eles são
no fundo de suas almas, apesar de todas as coisas impressionantes que eles sempre se esforçaram por colocar em movimento. 

*O corpo os força ao conhecimento de que são incapazes de adaptar-se às transformações mais necessárias para a vida.

*Quando atinge a respiração, a paralisia torna-se a causa da morte. 

*A respiração paralisada encarna a comunicação paralisada em um duplo sentido já que, depois da pele, os pulmões são nosso segundo órgão de comunicação.

*Eles são responsáveis pela admissão de energia.

*Tenhamos em vista o oxigênio responsável pelos processos de oxidação necessários para a vida ou, segundo a concepção oriental, o prana, a energia vital: em ambos os casos a provisão de energia paralisa-se com a paralisia da respiração.

*O sintoma deixa claro que não há mais nenhuma energia vital entrando no corpo.

*A linguagem está estreitamente ligada aos pulmões como órgãos de comunicação, já que ela se baseia na modulação do fluxo de ar expirado. 

*Os problemas de linguagem que vão aumentando com a evolução da doença refletem igualmente a perturbação da comunicação. 

*A voz não somente se toma mais fraca, mas também entrecortada. Quando as palavras não estão mais ligadas, desconectam-se de seu conteúdo e a comunicação já não estabelece mais nenhum tipo de comunidade.
 
*Por outro lado, poderia representar também o esforço que eles, com o suor de seus rostos, fizeram para conseguir alguma coisa neste mundo.

*Finalmente, este rosto tem ainda algo de ungido e poderia indicar uma relação com o sagrado. Christos quer dizer o ungido, e antigamente os reis eram ungidos em sinal de respeito.

*Aqui também mostram-se pretensões que mergulharam nas sombras. 


*Os afetados dão uma impressão brilhante, muito embora no plano corporal.

*O brilho mergulhou nas sombras e obtém consideração para si no corpo.

*Na história da vida dos pacientes encontra-se frequentemente um alto nível de exigência por realizações logradas como suor do próprio rosto, mas junto a isso o medo de fracassar, de não conseguir nada substancial.

*Muitas vezes, de brilhantes feitos memoráveis resta somente o suado esforço. 

*Na maioria das vezes o objetivo próprio mais profundo (anímico) e ao mesmo tempo mais elevado (social) não é alcançável, e mesmo quando obtém o brilho e a glória, no mais intimo de seus seres os afetados permanecem insatisfeitos.

*O resultado de seus grandes esforços no exterior está escrito em suas caras, e aqui também está a chave de sua situação. 

*Eles não mostram seu verdadeiro rosto, mas uma máscara "bem lubrificada".

*De fato, justamente as pessoas que alcançam posições cobiçadas, tal como almejam e muitas vezes logram os pacientes de Parkinson, raramente estão em condições de mostrar seu verdadeiro rosto. 

*O médico, por exemplo, deve estar sempre saudável e em boa forma, já que justamente faz parte de seu ideal estar sempre movendo-se como um raio em prol da humanidade sofredora.

 *As próprias necessidades podem não ser suficientes para isso, ou seja, as imagens profissionais da sociedade podem ser utilizadas para não mostrar o próprio rosto e para não cumprir com a tarefa interna.

*Esta temática está igualmente disseminada entre advogados, políticos, e outros que estão expostos ao público.

(... ) As particularidades do andar corroboram as interpretações apresentadas até agora: como foi dito, os afetados, em comparação com suas exigências, somente avançam com passos minúsculos.

*Eles, têm a tendência de cair para diante, pois avançam mais rapidamente com a parte superior do que conseguem seguir a realidade abaixo. 

*O corpo demonstra a cada passo a discrepância entre o querer e o poder.

*Ainda que se trate de pessoas ativas, bem-sucedidas segundo critérios externos, pessoas que fizeram tudo para demonstrar a si mesmas e ao seu ambiente o quanto tiveram de se esforçar, permanece a suspeita de que eles não conseguiram resgatar suas elevadas exigências de progresso no plano anímico espiritual.

*O andar, a postura curvada e aflita são outros testemunhos, assim como a escrita, comprovando como palavra a palavra bem como passo a passo se desce a ladeira.

*A voz cada vez mais fraca mostra que as forças de expressão também estão diminuindo.

*Em sua monotonia, ela sublinha a estereotipia da expressão, e em seu caráter
escondido, sua falta de compromisso.

*Como barômetro do estado de espírito, ela, no fundo, deixa entrever algo da resignação crescente.

*A imagem de desgaste e esgotamento confere com as descobertas seguras feitas até agora pela medicina.

*É como se a dopamina, aquela substância transportadora adrenergênica, se esgotasse devido à hiperatividade.

*No âmbito da 'substância nigra', uma área negra no cérebro, constata-se uma nítida degeneração com descoramento.

*A consequência é uma preponderância relativa do polo feminino da atividade cerebral.

*O masculino, após ter sido exagerado por um longo tempo, se esgota. 

*Os afetados são forçados ao polo oposto, não lhes resta outra coisa a fazer além de descansar graças à paralisia e à rigidez, ainda que elas provoquem medo e tremores. 

*O paciente somente se sente realmente bem em atividade, quando o tremor também diminui de forma imediata.

*Muitas das tendências forçadas pelo sintoma têm por objetivo a regeneração, inclusive o aumento do fluxo de saliva, que indica fome e atividade digestiva. 

*Ainda que o afetado fique com água na boca à menor oportunidade, é preciso antes digerir a vida passada, cheia de hiperatividade.

*Neste contexto, a experiência do neuropsicólogo norte-americano Oliver Sachs é interessante: "O paciente de Parkinson capaz de mover-se pode cantar e dançar, e quando o faz, fica totalmente livre dos impedimentos causados por sua doença...”. 

*As capacidades do polo feminino, portanto, são em grande medida poupadas e permanecem abertas ao paciente.

*A decrescente potência sexual é testemunho da falta da possibilidade de admitir o outro sexo e, com isso, a polaridade.

*A consequência natural é a esterilidade no âmbito concreto como expressão da deficiência correspondente no sentido figurado. 

*É justamente neste sentido que o paciente queria demonstrar fertilidade, muitas vezes com esforços exagerados. 

*Seu corpo lhe mostra que essa etapa se acabou. Nos casos de Parkinson evidencia-se um problema de coordenação e de comunicação, o que é típico em um mal nervoso. 

*A ligação entre o interno e o externo se vê tão afetada como a ligação entre o que está acima e o que está abaixo. 

*O andar problemático trai as dificuldades de coordenação entre os planos superior e inferior, entre a realidade anímico espiritual e a realidade física.

*A ligação entre o mundo dos pensamentos e a realidade é substancialmente mais problemática do que os afetados admitem para si mesmos. 

*A fala e a escrita, possibilidades clássicas de comunicação, mostram tendências ao colapso igualmente típicas.

*O precipitar-se para diante da parte superior do corpo é uma caricatura de sua vida. 

*A cabeça cheia de sonhos de alto voo precipita-se para a frente e perde o contato com a realidade material simbolizada pelo corpo.

*Assim como acontece com outros sintomas, a síndrome de Parkinson, de maneira terrível, também permite que aflore o verdadeiro rosto, ou seja, o padrão que está por trás dos sintomas e que francamente se transforma em caricatura. 

*A rígida máscara oleosa em lugar da vivacidade espiritual demonstrada para o exterior é um símbolo disso.

*A tarefa consiste na realização libertadora do padrão expresso nos sintomas. Nesse sentido, trata-se de dar pequenos passos, não erguer muito a voz e prestar atenção aos detalhes que são exigidos.

*Antes da quantidade, deve-se estar atento para a qualidade, as sutilezas são de central importância, afinal trata-se sobretudo de uma perturbação dos movimentos sutis. 

*A postura curvada e a tendência de cair sobre o próprio nariz desviam a atenção da frente para o chão. 

*Trata-se de manter os olhos cuidadosamente na realidade física e sempre retomar a ela, ou seja, ao chão dos fatos. 

*A escrita que vai se tornando cada vez menor desvia a atenção para o fato de que todo ímpeto inicial arrefece no curso da ação. 

*A micrografia coloca diretamente a exigência de expressar as coisas de maneira menor e mais realista. O que no início do caminho começou tão grande termina bastante modesto.

*É preciso aceitar internamente esse conhecimento, expresso em cada linha escrita.

*A enorme rigidez no corpo poderia ser vivenciada de forma anímica na busca correspondente da estrita do essencial. As resistências que surgem no âmbito físico devem ser incluídas no alto voo dos pensamentos.

*De acordo com seu diagnóstico de tremores e paralisia, os pacientes devem
aprender o movimento e o repouso. 

*Em vez de rigidez e paralisia, o repouso deveria introduzir-se em seus constantes esforços para diante, e se mostraria movimento anímico em vez de movimentos trêmulos no corpo. 

*Além do medo, vibra também no tremor o deixar-se tocar, comover, que falta no âmbito anímico.

*O medo e a falta de espaço expressos no rosto oleoso e no tremor podem ser realizados com mais consistência no âmbito das ideias.

*O elemento de amplidão de altos voos deveria ser apanhado do chão e as fronteiras da própria realidade anímica deveriam ser ultrapassadas. 

*A pretensão de fama e honra, derrotada no rosto oleoso do paciente, seria justiçada por meio de brilhantes passos no caminho do desenvolvimento interno. 

*Christos, o ungido, é propriamente um título honorífico que o Jesus histórico conquistou ao longo de seu caminho.

*Ele representa um desenvolvimento que, além do corpo, inclui também a alma e o espírito, que une superior com o inferior e o interior com o exterior. 

*Ele foi destinado àqueles seres cuja vida tornou-se sinônimo da unidade do homem e do mundo. Isso, entretanto, é a pretensão e a tarefa secretas dos pacientes de Parkinson.

***O que preciso saber?


1. Que sentimentos ocultos por trás de minha cara de pôquer?
2. Que susto penetrou em meus membros? O que me faz perder a fala?
3. O medo da morte me deixa mortalmente rígido?
4. Que medo, que ambição me remove por dentro e impede a paz interior?
5. Que objetivo elevado me deixa tão inquieto e insatisfeito?


6. Como é que minha comunicação é tão descompromissada a ponto de impedir a verdadeira comunhão ao invés de criá-la?
7. De que maneira gasto minhas energias e qual objetivo me resta?
8. Onde eu exagero o polo ativo masculino? O que devo ao passivo feminino? Como anda a criança que há em mim?
9. O que sobrou de não digerido em minha vida?
10. Onde eu fui mais pela quantidade no exterior que pela qualidade no interior?
11. Como é minha relação com a parte de cima, como ela é com a parte de baixo, com meu próprio submundo, como é a relação entre o mundo interno e o externo?

Fonte: Rüdger Dahlke -  A Doença como sintoma - OS SINTOMAS COMO OPORTUNIDADES DE DESENVOLVIMENTO.
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

domingo, 18 de janeiro de 2015

Ψ Psicossomática: "Tal como pensa o homem em seu coração, assim é." (Jesus Cristo)

"Diga onde dói e e eu lhe digo o que andas pensando." (Edgar Cayce - 1877/ 1945)

*Segundo Cayce a saúde é o equilíbrio entre físico, mental e espiritual, que é o princípio curativo holístico.


*Ele menciona quatro processos fundamentais para ter boa saúde:

*Circulação: Primordial na regeneração - exercícios físicos, massagens.
*Assimilação: Mecanismo pelo qual o corpo digere alimentos e distribui os nutrientes (20% ácidos e 80% alcalinos). Cereais e cítricos nunca na mesma refeição, e ingerir um litro e meio de água por dia.
*Relaxamento:
Sono suficiente e tempo livre para lazer.
*Eliminação: Indispensável que o corpo elimine toxinas e purifique seus órgãos internos (água, movimentos respiratórios, exercícios físicos, banhos de vapor), asseguram bons mecanismos de eliminação.


*O corpo tem seu próprio sistema de cura que regula os processos vitais e ajuda na sua manutenção e equilíbrio.

*A cura vem de dentro, o tratamento só pode ser eficaz se for de dentro para fora.


*Paracelsus (1493/ 1541) - Médico alquimista na teoria dos três princípios sustenta que cada substância ou matéria em crescimento é constituída de sal (alcalino, purificação), enxofre (dissolução ou consumação, azeite), e mercúrio (eliminação, um licor, a água).

*O sal limpa e purga o corpo pela vontade ou força vivificante inerente a cada órgão.

 Fala que determinados álcalis são naturais enquanto que outros ainda se acham coagulados e atuam por expulsão ou por transpiração.

*Sobre o enxofre corporal ele diz: "Cada doença resultante do supérfluo no corpo, tem seu antídoto na mistura elemental de determinadas plantas ou minerais."

*O mercúrio absorve o que o sal e o enxofre repelem. É o que ocorre com as doenças das artérias, ligamentos, articulações e juntas.


*Desta forma, vai ser ministrado a fórmula especial que melhor corresponde à forma da indisposição.

*O essencial da doença reclama o essencial que a natureza indica como remédio.

                                                                                                                              a alquimista/ Michael de Bono
                                 









                                                                                                                                   

*Para diagnosticar corretamente o médico precisa ser leal e caridoso, o egoísta muito pouco fará em favor dos seus enfermos.

*O médico alquimista assegura então que todas as doenças podem e devem ser curadas. Assim refere:"Nenhum médico poderá afirmar que uma doença é incurável sem tentar todos os recursos da natureza na cura, ... e se assim não agir estará renegando não só a natureza, como o Deus que a criou ... para cada doença por mais terrível que pareça tem a sua correspondente cura".                                                                                                 
                                                                                                                        

Cada planta é como uma estrela na terra, em suas folhas e pétalas encontra-se o segredo inscrito: No caroço de uma fruta a resistência predomina sobre a força, ao ser semeado o caroço se restabelece a vegetação esta se realiza porque a força luta com a resistência até estabelecer um equilíbrio com ele.

*O objetivo da planta consiste em transmitir-nos os detalhes da beleza, da cor e da perfeição que nascem nas regiões superiores e que tendem a introduzir-se em nossa região inferior.



"Cada grão de semente é um pequeno caos. Quando o fruto aparece é porque a força pode mais do que a resistência e conseguiu vencer todos os obstáculos."(Saint Martin)

*Para gerar faz-se um combate cujas fases e mostram pelo signo e que não existe um único ser que não manifeste por sua forma exterior a história do seu próprio nascimento.




 *PARACELSUS ou Theophrastus Bombastus von Phillippus Aureolus Hohenheim, (1493/ 1541) - Nasceu na Suíça. Ele era um alquimista, médico, botânico e astrólogo. Ele era um firme crente na capacidade do corpo para curar a si mesmo e a relação entre o corpo e a mente. Sendo um dos primeiros, a considerar a  doença mental como sendo a doença "real". Ele acreditava que muitas doenças tinham suas raízes em problemas psicológicos, e foi, além disso, a figura em primeiro lugar conhecido por fazer menção da palavra "inconsciente".
*EDGAR CAYCE - (1877 - 1945) - Nasceu nos Estados Unidos.Quando criança, Cayce conversava com pessoas que ninguém mais via, inclusive com seu falecido avô - que também possuía dons paranormais. Quase todas as faculdades psíquicas de Edgar Cayce se manifestavam sob o estado de transe, quando ele entrava como que em um sono hipnótico, fato que lhe rendeu o título de o profeta adormecido. Adulto, Edgar dedica-se à profissão de fotógrafo, mas resolve também prestar atendimento às pessoas doentes, em especial desenganados pela medicina, serviço este que ofereceu gratuitamente durante uns 40 anos, atendendo neste período uma média de seis mil pessoas. Precisava apenas saber nome e endereço da pessoa para poder medicá-la.
  Fonte: wikipedia.org/wiki

Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

sem mais ... Wolinski, Cabu, Charb, Tignous


 Desenho de Wolinski sobre o Rio, no formato de uma longa tira (Foto: BBC) 
O desenho, no formato de uma longa tira, foi dado ao guia de turismo carioca Marcelo Armstrong, que criou o "Favela Tour", um passeio que leva turistas a comunidades como a Rocinha, que fez parte do roteiro do cartunista. Ele era parte de um grupo de profissionais no País para a Bienal Internacional de Quadrinhos.

"A charge retratava impressões sobre sua estada no Rio de Janeiro, que tive o prazer de ajudá-lo a conhecer. Estava ali registrada sua critica à nossa persistente violência urbana. Ontem, a violência de um terrorismo covarde e insano, nunca imaginada naqueles (recentes) tempos de 1993, iria tirar-lhe a vida, na segura e civilizada Paris", disse Marcelo Armstrong.

No desenho, Wolinski fez observações sobre o poder do tráfico nos morros cariocas, referências a organizações criminosas e à cumplicidade da polícia no comércio da droga. "Ele se impressionou com nossas discrepâncias", acrescentou Armstrong.

 Wolinski chamou as praias do Rio de "paraíso californiano" com seus surfistas e adeptos da corrida. Ele elogiou a beleza e alegria dos cariocas e, com a ilustração de mulheres de biquini, comentou o que chamou de ‘indecência pudica’ e ‘inocência sem perversão’ vista nas areias.

Cartunistas brasileiros expressaram a indignação em relação ao atentado ocorrido na França: Dois deles, Ziraldo e Chico Caruso, guardam dedicatórias de uma das vítimas - o mestre da sátira Wolinski.

 “É muito chocante porquê é uma coisa inimaginável você entrar pela redação e atirar a esmo, matar doze pessoas. Quer dizer, que civilização é essa? É uma coisa muito estranha. Eu fiquei chocado, todo mundo ficou muito chocado. O Wolinski teve no Brasil, aqui em casa. Me fez uma dedicatória que é fantástica”, conta o cartunista Ziraldo. “Ele era muito inteligente. Fez um retrato meu, uma caricatura que eu acho sensacional, que é feito com poucas linhas. Poucas e boas. O meu retrato..."

"É o imponderável travestido de guerra santa, mas é uma covardia religiosa isso. Covardia criminosa travestida de religiosa”, afirma o cartunista Chico Caruso.

“É inimaginável que eles tenham escolhido justamente um desenhista, um cartunista que fica com a sua canetinha, desenhando com seu nanquim e que tenham provocado uma reação tão monstruosamente deformada”, lamenta o cartunista Jaguar.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Ψ Psicossomática - O Corpo Fala

"... Ninguém me bate 3 vezes.
- essa já é a terceira senhor!" 
 (do filme Um Golpe Perfeito)

*Tensão, medo, raiva, traição, falta de amor, solidão, preocupação, inveja, frustração, espaço violado ... 

*O sujeito costuma memorizar os acontecimentos, datando-os, e fazendo do número seu ponto de ancoragem na doença.

*É como se ele se expressasse através de cifras, impressas sobre o corpo, através de associações, fantasias ou a formulação de algo enigmático.


*Quando os ataques e insultos provenientes do ambiente são sucessivos, a raiva vai se acumulando. Emoções negativas que fermentam por um longo período um dia explodem.


*E a raiva expressa resulta em violação do espaço de vida de outras pessoas. 

*E quando introjetada viola o organismo.

 
*A Psicanálise, propõe considerar o corpo não com o um dado biológico, mas como o efeito da palavra sobre o dado biológico, sustenta o dizer freudiano de que “o eu é, antes de tudo, corporal.” (FREUD, 1923)

*O corpo é, em seus estatutos Imaginários, Simbólico e Real, assim Lacan pensou a experiência analítica: A lesão psicossomática é uma lesão corporal ligada a uma causa linguística, que desorganiza uma necessidade fundamental do corpo.

*Vem de uma sugestão forçada, testemunhando um sofrimento que não está subjetivado, ou seja, que não está podendo ser tomado para transitar na dialética do desejo.*A abordagem Psicossomática implica numa prática que opera através da palavra. 

*A palavra como limite ao gozo, levando o gozo para fora do corpo, ... por exemplo, um pouco de gozo na construção da fantasia, converter o que estava silencioso na pulsão em enigma, para que o sujeito possa se colocar em questão.

  *A lesão é “signo" é não interpretável por si mesma.

*Procura-se o médico quando a lesão se instala.



*Saúde e doença são reflexos de nossas crenças e pensamentos.


*Quando descobrimos o padrão mental que está por trás de cada doença, temos a oportunidade de modificá-lo e nos curar. 


*O corpo fala. Ele é como um mestre que nos avisa quando insistimos num comportamento que nos faz mal.

*Os pacientes muitas vezes necessitam de tratamento para a raiz psicológica subjacente.

 
*O sujeito quando em sofrimento fica ruminando a doença mantendo a energia criativa presa.

*No caso de padrões crônicos, é provável que a terapia seja necessária para substituir padrões saudáveis ​​existentes com os novos saudáveis ​​mecanismos de enfrentamento.

 
*Mas a resistência à psicoterapia por vezes é maior do que a dor.

*Embora muitas doenças respondem às drogas, analgésicos e outros tipos de ajuda médica, os sintomas tendem a retornar a menos que a causa subjacente seja tratada.

 
*Aprender a lidar com o estresse e substituir padrões de pensamento negativo por meio de mudanças comportamentais cognitivas podem proporcionar alívio e cura. 


*Vamos considerar a somatização na área do pescoço, garganta na abordagem psicossomática:

*A boca é que faz com que possamos sorrir e também nos exprimir. É a porta aberta entre o mundo exterior e o interior, pela qual recebemos os alimentos e, por extensão, as experiências da vida, que vêm a ser o nosso "alimento psicológico".

*Porém, ela também funciona do interior para o exterior. É então o orifício através do qual nós expressamos, até mesmo cuspimos ou vomitamos o que está no interior e que precisa sair. 

*Os males da boca são um sinal da nossa dificuldade para morder na vida, para aceitar ingerir o que ela nos propõe, a mastigar essa proposta para digeri-la melhor.

*Aftas, inflamações bucais, bruxismo (ranger os dentes), gagueira são muitos os sinais de que aquilo que nos é proposto ou que nos é dito não nos satisfaz.

*Sob o ponto de vista físico sabe-se que muitas dores de garganta são desencadeadas por fatores como alergias, viroses, as condições ambientais ... Porém, a tendência de desenvolver dor de garganta recorrente pode ter origem psicossomática.

*Bruxismo é um sintoma de repressão. Imagine que você está com raiva, mas não é apropriado ou você está com medo de expressá-la.Para controlar o seu sentimento, você tensiona as costas, braços e mandíbula.Isso manteria sua boca fechada e rígida. Para evitar o choro você aperta seu peito, queixo, mandíbula, e os olhos. 

*Quando você suprime emoções particulares ao longo de um período de tempo a repressão se torna habitual, crônica e inconsciente.

*Emoções ficam congeladas ou somatizados no corpo físico.

*Faringite, amigdalite:
Você está restringindo a sua auto expressão. Não está se dando credibilidade suficiente para o que você tem a dizer. Você precisa ter autoconfiança e coragem, a fim de ser fiel a si mesmo e se comunicar livremente, independentemente do que os outros possam pensar.

*Perda da voz, rouquidão: Retenção do que se quer dizer. Você se subestima e acha que o que fala não terá qualquer efeito sobre a sua vida ou das pessoas do seu convívio."Se você costuma omitir com frequência de verbalizar algo relevante, os seus ombros, pescoço e garganta podem ficar tensos". (...) "Isso diminui a circulação, tornando-o vulnerável aos germes que podem causar uma dor de garganta." (Loomis)

*A tireóide é o regulador de vários órgãos do corpo. Se há expressão limitada dos desejos da alma, o funcionamento geral do corpo torna-se comprometido. Você precisa honrar o que o seu coração está dizendo a você, tomando medidas para torná-lo uma realidade.

*Hipotireoidismo: Você está se sentindo restrito porque você se sente incapaz de fazer o que você quer fazer.

*Hipertireoidismo: Você se torna enfurecido, com medo de perder o controle de sua vida.

*Sobre a gagueira, o escritor John Updike em Fazendo Sair as Palavras (1999), fala sobre a sua própria condição:
“A deficiência surge, ao que parece da inibição entre o pensamento e a palavra, baixa uma sombra, uma separação ... Demonstra a dualidade de nossa existência, a capacidade de o corpo e a alma dizerem não um ao outro".


(...) e a partir de uma elaboração de sua vivência, o autor refere que com algumas pessoas ele gagueja e com outras tem o dom de conversar com total domínio da arte da locução verbal.


Fonte: Updike, J. Fazendo sair as palavras. Pulsional Revista de Psicanálise. Ano XII, nº 119, março de 1999. Psoríase. Disponível em: Wikipédia - Psicossomática.
ÁVILA, A. L. Doenças do corpo e doenças da alma, uma investigação psicossomática
psicanalítica. São Paulo: Escuta, 1996.

BIRMAN, J. Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

DEJOURS, C. O corpo entre a biologia e a psicanálise: Biologia, psicanálise e somatização.
DOR, J. Introdução à leitura de Lacan. Rio de Janeiro: Artes Médicas, 1999.

W. Reich. Análise do Caráter. New York: Farrar, Straus & Giroux, 1972.
Lowen. Bioenergética . New York: Coward, McCann & Geoghegan de 1975.

R. Kurtz e H. Prestera o corpo revela - o que seu corpo diz sobre você. San Francisco: Harper and Row, 1984.
Ψ  Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

sábado, 27 de dezembro de 2014

Ψ Feliz 2015!


http://vimeo.com/27920977

*Admire a flor e apaixone-se pela vida.

*A liberdade é a sua proteção e bênção.

*Perceba a importância absoluta do "agora" na ampla passagem do tempo.

*Um novo ano se inicia o que você pensa agora vai definir o seu destino.

*Que seja um período positivo e cheio de esperança em sua vida.


*Desejo que a maré esteja a seu favor.

*Se não foram bons os tempos até aqui, enterre-os no passado, no escuro dezembro e pense que você é um ano mais sábio.

*Só você sabe o que sofreu ... Lembre-se dos duros dias de inverno, do segredo traído e do cinismo, dor e alegria ... Nada se perde ... é isso que irá esculpir o seu novo personagem.  

*Seja generoso. Tenha total confiança de que tudo que você está dando tão generosamente para o mundo irá retornar multiplicado.

*Desejo que as flores encante seu coração e que a velha alma cansada volte a ser quente e jovem.

Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica