terça-feira, 18 de setembro de 2012

Ψ "Então, para que é que estou maluco"?



Ψ LUCROS SECUNDÁRIOS DAS DOENÇAS
- Enquanto se está estabelecendo uma neurose é, via de regra, muito incômoda.
- O EGO, tenta então, fazer da necessidade uma 'virtude', seria capaz de servir da neurose para fins próprios.
- Pode tentar ganhar vantagens do meio, provocando a piedade, a atenção, o amor, a concessão de suprimentos narcísicos ou até compensações monetárias.

- Os lucros secundários possíveis são muito variáveis:
1. LUCROS SECUNDÁRIOS DO MUNDO EXTERIOR: Consiste em ganhar atenção pelo fato de estar doente. Qual a necessidade especial de "ganhar atenção"?
Precisa-se de atenção ou como satisfação sexual (substituto do amor), ou como tranquilização e promessa de ajuda e proteção.
 Também se percebe a doença, muitas vezes, como direitos à privilégios, os quais consistem em vantagens materiais ou em proveitos psíquicos mais sutis.
 Muitas vezes os que mais lutam por "compensação" são os pacientes que de dinheiro pouco precisam, necessitando mais de afeição e tranquilização contra o abandono.
Conta-se a história de um paciente internado que indagou, quando lhe negaram privilégios especiais. "Então, para que é que estou maluco"?
- A doença mobiliza todas as vantagens do comportamento passivo-receptivo;
 "Agora já não sou eu que tenho de agir; eles tem de agir por mim."

  2. LUCROS SECUNDÁRIOS ORIUNDOS DO SUPEREGO:
O orgulho ds formações reativas, bem como o apaziguamento de um SUPEREGO severo pelo sofrimento incluem nesta categoria.
 Os privilégos da doença incluem a perda de sentimento de responsabilidade; e uma neurose pode servir para ganhar "atenção interna" do mesmo modo que para lograr atenção externa.
- O lucro secundário que resulta da avaliação dos sintomas como punição tem sido considerado primária e fundamental. Não há, porém, quem se torne neurótico apenas para o fim de sofrer.

- Predominam várias vantagens secundárias conforme os diversos tipos de neurose:
. NEUROSE DE ANGÚSTIA: Regressão á infância, proteção;
. NA HISTERIA: Lograr a atenção pela "teatralização" e obtenção de de vantagens materiais;
. NEUROSE OBSESSIVA: Proveitos narcísicos pelo orgulho da doença;
. NOS DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS: A negação de conflitos psíquicos pela
 projeção destes na esfera física.

- Os lucros secundários ora são muito evidentes, ora ocultos. Quem consegue lograr vantagens com a doença não as larga com facilidade.
 - Logo, a ANÁLISE tem primeiro, de clarificar e trabalhar através dos lucros secundários.  Um lucro desta ordem pode até ser o único prazer que o paciente é capaz de sentir. 
-  Neste particular, um lucro secundário, dificulta às vezes, a análise de um neurótico tanto quanto a de um pervertido.

FONTE BIBLIOGRÁFICA:  FENICHEL, Otto - TEORIA PSICANALÍTICA DAS NEUROSES
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Nenhum comentário: